Top thingy left
 
GALÁXIAS ANULARES
Uma galáxia anular é uma galáxia com uma aparência tipo-anel. Este anel consiste de massivas e relativamente jovens estrelas azuis, extremamente brilhantes. A região central contém matéria relativamente pouco luminosa. Os astrónomos acreditam que as galáxias em forma de anel são formadas quando uma galáxia mais pequena passa pelo centro de outra maior. Devido às galáxias serem maioritarimente constituídas por espaço vazio, esta "colisão" raramente resulta concretamente em colisões entre estrelas. No entanto, os distúrbios gravitacionais causados por tais eventos podem iniciar uma onda de formação estelar, onda esta que se irá mover pela galáxia maior. O objecto de Hoag, descoberto em 1950 por Art Hoag, é um bom exemplo de uma galáxia de este tipo.
 
GALERIA DE GALÁXIAS ANULARES
     
 
Galáxia anular conhecida como Objecto de Hoag. No lado de fora encontra-se um anel dominado por brilhantes estrelas azuis, enquanto que no centro se encontram muito mais avermelhadas e por isso muito mais antigas. Entre as duas estruturas está uma divisão quase completamente escura. Como este objecto se formou, é ainda um mistério. Certas hipóteses incluem uma colisão galáctica há milhares de milhões de anos atrás e interacções gravitacionais perturbativas envolvendo um núcleo de forma irregular. A foto acima foi tirada pelo Telescópio Espacial Hubble em Julho de 2001. O Objecto de Hoag mede 100,000 anos-luz em diâmetro e situa-se a 600 milhões de anos-luz na constelação de Serpente. Por coincidência, visível na divisão está ainda outra galáxia anular que fica ainda muito mais distante.
Crédito: R. Lucas (STScI/AURA), Hubble Heritage Team, NASA
 
 
Por acaso, uma colisão de duas galáxias originou uma forma surpreendentemente reconhecível numa escala cósmica. A galáxia Cartwheel faz parte de um grupo de galáxias a aproximadamente 500 milhões de anos-luz de distância na constelação do Escultor. Duas galáxias mais pequenas do grupo são visíveis à esquerda na foto. O anel de Cartwheel é uma imensa estrutura com um diâmetro de 100,000 anos-luz composta por estrelas extremamente brilhantes e massivas. Quando as galáxias colidem, passam uma pela outra -- as suas estrelas individuais raramente entram em contacto. Os campos gravitacionais das galáxias, no entanto, podem sofrer grandes perturbações devido à colisão. De facto, a estrutura anular é o resultado destes distúrbios gravitacionais causados por uma pequena galáxia passando pela maior, comprimindo o gás interestelar e pó, e provocando uma onda de formação estelar.
Crédito: S. Lee & D. F. Malin, AAO
 
 
Como é que uma galáxia fica com a forma de um anel? A estrutura anular da galáxia mede 150,000 anos-luz em diâmetro e é composta por estrela jovens, extremamente brilhantes e massivas. Esta galáxia, AM 0644-741, sofreu uma grande colisão galáctica. Quando as galáxias colidem, passam uma pela outra. A forma do anel é a consequência dos distúrbios gravitacionais causados pela galáxia instrusa. AM 0644-741 situa-se a 300 milhões de anos-luz de distância.
Crédito: Hubble Heritage Team (AURA / STScI), J. Higdon (Cornell) ESA, NASA
 
 
NGC 4650A parece uma galáxia 2 em 1. Um tipo raro de galáxia conhecido como Anel Polar, NGC 4650A é composta por um grupo central de estrelas velhas e um anel de estrelas jovens. Ambos os componentes são claramente visíveis nesta imagem do Telescópio Hubble. Ainda se está a investigar o que cria este tipo de galáxias, mas pensa-se que seja devido a uma colisão entre duas galáxias distintas num passado distante. Estas galáxias permitem que os astrónomos estimem a quantidade de matéria escura ao medir o período de rotação do extenso anel. Pensa-que exista um tipo desconhecido de matéria escura, porque o anel regularmente gira depressa demais para se manter constante apenas pelas estrelas visíveis.
Crédito: J. Gallagher (UW-M) et al. & the Hubble Heritage Team (AURA/ STScI/ NASA)
 
Última actualização: 2005-04-07
 
Top Thingy Right