Top thingy left
 
ROVER OPPORTUNITY COMEÇA ESTUDO DA ORIGEM DE VALE
16 de maio de 2017

 


"Perseverance Valley" está situado mesmo no outro lado da encosta decrescente da orla da cratera visível nesta imagem da Navcam do rover Opportunity da NASA, que chegou a este destino no iníco de maio em preparação para a descida até ao vale.
Crédito: NASA/JPL-Caltech
(clique na imagem para ver versão maior)

 

O rover Opportunity da NASA atingiu o principal destino da sua atual missão prolongada de dois anos - um antigo vale esculpido por líquido situada na encosta interna de uma vasta cratera.

À medida que o rover se aproximava do limite superior de "Perseverance Valley" no início de maio, as imagens das suas câmaras começaram a mostrar partes da área numa resolução superior àquela que pode ser obtida em imagens captadas a partir de órbita do Planeta Vermelho.

"A equipa científica está realmente entusiasmada por começar a ver esta área de perto e por começar a procurar pistas que ajudem a distinguir entre múltiplas hipóteses sobre a formação deste vale," comenta Matt Golombek, cientista do projeto Opportunity no JPL da NASA em Pasadena, no estado norte-americano da Califórnia.

O processo que esculpiu Perseverance Valley na orla da Cratera Endeavour há milhares de milhões de anos atrás ainda não identificado. Entre as possibilidades: poderá ter sido água corrente, ou poderá ter sido um fluxo de detritos em que uma pequena quantidade de água lubrificou uma mistura turbulenta de lama e rochas, ou poderá ter sido um processo ainda mais seco, como a erosão do vento. O objetivo principal da missão, com o Opportunity neste local, é avaliar qual das hipóteses é a melhor suportada pelas evidências ainda aí presentes.

A extremidade superior do vale está num entalhe largo na crista da borda da cratera. O plano da equipa do rover, no que toca à investigação da área, começa com a captação de imagens do vale a partir de dois pontos separados nessa inclinação da orla. Esta imagem estéreo de longa linha de base fornecerá informações para uma análise tridimensional extraordinariamente detalhada do terreno. O vale estende-se para baixo da linha da crista da orla até à cratera, numa inclinação que ronda os 15-17º para uma distância equivalente a dois campos de futebol.

"A imagem estéreo de longa linha de base será usada para produzir um mapa digital da elevação que ajudará a equipa a avaliar cuidadosamente possíveis rotas de condução vale abaixo antes de começar essa etapa da viagem," comenta John Callas, gerente do projeto Opportunity no JPL.

Inverter o percurso orla acima quando o rover estiver parcialmente a caminho poderá ser uma tarefa complicada, assim que a determinação de um caminho com o mínimo de obstáculos será importante para dirigir o Opportunity através de toda a extensão do vale. Os investigadores pretendem usar o rover para examinar texturas e composições no topo, em todo o seu comprimento e na parte inferior, como parte da investigação da história do vale.

Enquanto a imagem estéreo está a ser analisada para o planeamento do percurso, a equipa planeia usar o rover para examinar a área imediatamente a oeste da orla da cratera no topo do vale. "Esperamos fazer um pequeno passeio fora da cratera antes de começarmos a descer Perseverance Valley," salienta Golombek.

A missão começou o seu 150.º mês desde a aterragem do rover Opportunity, no início de 2004, na região Meridiani Planum de Marte. Nos primeiros três meses, originalmente planeados como a duração total da missão, encontrou evidências nas rochas de que água acidificada fluiu através de partes de Marte e encharcou a subsuperfície no início da história do planeta.

Durante quase metade da missão - 69 meses - o Opportunity tem explorado locais perto e na orla oeste da Cratera Endeavour, onde rochas até mais antigas estão expostas. A cratera mede cerca de 22 km em diâmetro. O Opportunity chegou a partir do noroeste num ponto correspondente à posição das 10 horas num relógio, caso o norte corresponda ao meio-dia; Perseverance Valley corta de oeste para este aproximadamente à posição das 8 horas.

Ao longo das últimas semanas, o Opportunity tem rumado para sul até chegar à coroa do vale. Em meados de abril terminou os seus cerca de dois anos e meio num segmento da orla chamada "Cape Tribulation". Em sete viagens desde então, e até chegar ao seu destino no dia 4 de maio, percorreu 345 metros, colocando a odometria total da missão em aproximadamente 44,8 quilómetros.

 


comments powered by Disqus

 


Este gráfico mostra o percurso do rover Opportunity da NASA na sua aproximação final a "Perseverance Valley", na orla oeste da Cratera Endeavour durante a primavera de 2017.
Crédito: NASA/JPL-Caltech/Universidade do Arizona/NMMNH
(clique na imagem para ver versão maior)


As marcas das rodas do Opportunity, descendo e dizendo adeus ao segmento "Cape Tribulation" da borda da Cratera Endeavour, são visíveis nesta imagem captada a 21 de abril de 2017 pela Pancam do rover. O rover olhou para trás (norte) durante a sua viagem para sul até "Perseverance Valley".
Crédito: NASA/JPL-Caltech/Cornell/Universidade Estatal do Arizona
(clique na imagem para ver versão maior)


Links:

Notícias relacionadas:
NASA (comunicado de imprensa)
ScienceDaily

Rovers Spirit e Opportunity:
NASA
Wikipedia

Marte:
Núcleo de Astronomia do CCVAlg
Wikipedia

 
Top Thingy Right