Top thingy left
 
CEFEU

Cefeu é uma das 48 constelações na lista de Ptolomeu. Embora não seja muito brilhante, a constelação é mesmo assim muito fácil de identificar, situando-se a Oeste de Cassiopeia. As estrelas são na maioria de 3.ª ou 4.ª magnitudes. A constelação tem numerosos binários, alguns até bons binários, e uns quantos objectos de céu profundo interessantes.

Alpha Cephei é conhecida como Alderamin ("O Ombro Direito"). Daqui a 5500 anos esta estrela irá tornar-se a Estrela Polar. Beta Cephei é chamada Alfirk ("A Manada"). É um binário visual e também uma variável (ver abaixo). Gamma Cephei é Er Rai (Pastor): antes de Aldemarin se tornar a Estrela Polar, Gamma Cephei vai assumir este título (entre 3000 e 5200 DC. A maior aproximação ao pólo celeste norte deverá situar-se por volta de 4000 DC). Delta Cephei é um protótipo de um dos mais importantes tipos de variáveis (ver abaixo). A estrela também é um bonito binário com contraste de cor. Mu Cephei é uma estrela supergigante colorida e brilhante, de um vermelho profundo que levou William Herschel a chamá-la "A Estrela Pedra Preciosa". A cor depende do tamanho do telescópio; os maiores vêem-na com uma cor laranja. É também uma variável semi-regular (ver abaixo).

ESTRELAS DUPLAS

A constelação tem um bom número de binários, alguns muito fáceis de observar em pequenos telescópios, outros mais difíceis.

  • Beta Cephei é uma gigante azul com uma ténue companheira facilmente visível: 3.2, 8.
  • Delta Cephei é um duplo fixo, uma gigante amarela com uma companheira azul: 3.8, 7.5.
  • Xi Cephei é considerado o mais atraente binário de Cefeu, uma primária azul-clara e uma amarela (ou avermelhada) companheira que orbita em cada 3800 anos: 4.4, 6.5.
  • Kruger 60 é um famoso binário a apenas 12.9 anos-luz de distância, de anãs vermelhas. Observadores dizem que viram aumentos de brilho na superfície da companheira, que orbita em cada 44.6 anos: 9.8, 11.4. O binário encontra-se a menos de 1º Sul-Sudoeste de delta Cephei.

Mapa da constelação de Cefeu.
Crédito: UAI, Sky & Telescope
(ver formato PDF)
 

Foto astronómica da constelação de Cefeu.
Crédito: Naoyuki Kurita
  • Struve 2816 é um binário múltiplo, um atraente triplo: 6.3, 8.1, 8.0.
  • No mesmo campo estão Struve 2813 e Struve 2819, todas centradas no meio da larga mas ténue nebulosa difusa IC 1396, a Sul de mu Cephei.

ESTRELAS VARIÁVEIS

  • Beta Cephei é o protótipo de uma classe de variáveis pulsantes. Estas são quentes, luminosas, e muito massivas. O grupo também é chamado "beta Canis Majoris", pois esta estrela também pertence a este grupo. É o membro mais brilhante do grupo. As variações na magnitude visual são muito pequenas, quase 1/4 de magnitude. Beta Cephei varia 0.04 do seu brilho habitual de 3.2 num período de 4 horas e 34 minutos.
  • Delta Cephei também é um protótipo de uma classe de variáveis, as chamadas cefeidas. As suas variáveis são estrelas imensamente úteis. Estudos no período de pulsação e da magnitude aparente levaram os investigadores a inventar um método de calcular a distância de galáxias distantes (o chamado relação período-luminosidade). Delta Cephei varia entre 3.48 e 4.37 em cada 5 dias, 8 horas, 47 minutos e 31.9 segundos. Isto significa que o brilho máximo pode ser calculado com um razoável grau de exactidão. Depois de alcançar o máximo, uma diminuição gradual da magnitude ocorre nos três dias seguintes, apenas para a estrela outra vez aumentar o seu brilho nos dois dias posteriores até que chega outra vez ao seu máximo. Comparando a sua magnitude com zeta Cephei, apenas a Oeste, é possível determinar se chegou ao seu máximo. Zeta tem uma magnitude visual de 3.4, enquanto delta Cephei varia entre 4.4 e 3.5. Isto é, durante a maioria do seu ciclo, vai estar mais ténue que zeta, mas quando chega ao seu máximo, deve ter uma magnitude similar ao seu vizinho.
  • Mu Cephei é uma supergigante semiregular que varia entre 3.5 e 5.1 num longo período: 730 dias.
  • S Cephei é uma variável tipo-Mira de longo período: 7.4-12.9 num período de 486 dias.
  • T Cephei é também uma variável tipo-Mira, entre 5.2 e 11.3 a cada 388 dias.
 

OBJECTOS DE CÉU PROFUNDO

  • NGC 188 é um ténue enxame aberto de 150 estrelas. A sua importância verifica-se no facto de ser extremamente velho: pensa-se que tenha sido formado entre 10 e 20 mil milhões de anos atrás. A maneira mais fácil de o encontrar é baixar quatro graus da Estrela Polar, para a estrela chamada "2 UMi", que se situa em Cefeu. O enxame encontra-se a Sudoeste desta estrela.
  • NGC 6939 é um bom enxame estelar aberto com mais ou menos oitenta estrelas num campo muito rico que inclui NGC 6946, uma galáxia espiral. O enxame encontra-se a 2.5º de theta Cephei, ou a cerca de 2º Sudoeste de eta Cephei.
  • NGC 6946 (Galáxia do Fogo-de-artifício) é uma galáxia espiral onde já foram observadas oito supernovas, mais que em qualquer outra galáxia.
  • NGC 7023 é uma pequena nebulosa de reflexão com magnitude 7.0 a 6º Norte-Noroeste de alpha Cep.
  • NGC 7538 é lar da famosa Nebulosa da Bolha, a 9100 anos-luz da Terra, onde se encontra a maior protoestrela já descoberta (300 vezes o tamanho do nosso Sistema Solar)
  • IC 1396 é uma vasta nebulosa redonda com um diâmetro aparente de aproximadamente 3 graus, a 2400 anos-luz da Terra. Mu Cephei situa-se mesmo no limite Norte da nebulosa. Contém a famosa Nebulosa Tromba do Elefante.
 

MITOLOGIA DA CONSTELAÇÃO

Cefeu é o nome de dois reis mitológicos. Um era o filho de Aleus, de Arcadia. Tornar-se-ia no rei de Tegea (uma comunidade na península de Peloponeso), teria mais de 20 filhos, e partiria com Jasão como Argonauta.

O outro Cefeu era o filho de Belus, rei do Egipto (que era filho de Poseídon), e da ninfa Io, uma das amantes de Zeus. Este Cefeu cresceu para se tornar o rei da Etiópia (ou Joppa). Não é a Etiópia que conhecemos hoje em dia. Na altura, Joppa estendia-se desde a costa Sudeste do Mediterrâneo até ao Mar Vermelho, uma área que contém parte de Israel, Jordânia e Egipto. Ptolomeu descreveu-o como usando uma coroa de rei persa, parecida com uma tiara.

Era casado com Cassiopeia e tinha uma filha chamada Andrómeda (sim, toda a família eventualmente acaba nos céus). Cassiopeia era incrivelmente bela mas muito vaidosa. Também se orgulhava da beleza da sua filha. De facto, ela gabava-se que as duas eram muito mais bonitas que as 50 ninfas que estavam na corte de Poseídon.

Estas ninfas (as Nereidas) queixaram-se a Poseídon, que achou que devia defender a sua reputação. Então mandou uma cheia para devastar o reino de Cefeu. Os oráculos disseram a Cefeu que para salvar o seu povo desta catástrofe, ele deveria sacrificar a sua filha a um grande monstro do mar: Andrómeda foi atada a uma rocha na costa, apenas vestida com as suas jóias. O monstro chegaria em breve para reclamar o seu prémio.

Naquele momento aparece Perseu, a caminho de Atenas. Tinha acabado de matar Medusa e trazia consigo a sua cabeça. Medusa era uma das três irmãs Gorgones. Tinham sido muito belas mas Medusa dormiu uma noite com Poseídon no templo de Atenas. Isto enfureceu tanto a deusa que tornou os cabelos de Medusa em cobras e tornou-a num terrível monstro com grandes dentes e garras. Apenas um olhar de Medusa tornaria qualquer pessoa em pedra. Com a ajuda de Atenas, a inimiga mortal de Medusa, Perseu enganou-a, pondo-a a olhar para o seu reflexo. Depois cortou a sua cabeça (Pégaso e um guerreiro chamado Chrysaor formaram-se do corpo morto da Medusa).


Figura da constelação de Cefeu.
Crédito: Johann Bayer
 

Perseu chega então ao local do sacrifício e conversa com Cefeu e Cassiopeia; acorda-se que se Perseu salvar a sua filha, pode casar com ela. Então ele voa por cima das águas e a sombra que provoca confunde o monstro, que Perseu eventualmente mata. Felicíssimos, Cefeu e Cassiopeia tentam, mesmo assim, impedir que a sua filha case com Perseu. No entanto Andrómeda resiste, e a cerimónia é realizada mesmo ali no local.

A meio da cerimónia Agenor, um familiar, aparece e reclama Andrómeda como sua noiva. Isto irrita Perseu, o que dá origem a uma grande batalha. No entanto, Perseu, que estava em desvantagem, não teve remédio senão usar a cabeça de Medusa, e torna todos em pedra, incluindo os pais de Andrómeda.

Poseídon põe então Cefeu e Andrómeda nos céus, mas com uma reviravolta: pôs a vaidosa Cassiopeia a andar à volta do pólo celeste, ficando de cabeça para baixo metade do ano. A Cefeu, Poseídon deu-lhe um número de estrelas médias.

 
 
Top Thingy Right