Top thingy left
 
ROVER CURIOSITY VÊ TENDÊNCIA EM PRESENÇA DE ÁGUA
19 de Março de 2013

 

O rover Curiosity observou evidências de minerais contendo água em rochas perto de onde já tinha encontrado minerais argilosos dentro de uma rocha perfurada.

Na semana passada, a equipa científica do rover anunciou que a análise da amostra recolhida de uma perfuração rochosa em Marte indicava condições ambientais passadas favoráveis para a vida microbiana. Os resultados apresentados ontem (18 de Março) numa conferência de imprensa sugerem que estas condições se estendem para lá do local de perfuração.

Usando a capacidade do rover para obter imagens infravermelhas e um instrumento que dispara neutrões para o chão em busca de hidrogénio, os investigadores encontraram mais hidratação nos minerais perto da rocha argilosa do que em locais que o Curiosity já tinha visitado.

O instrumento Mastcam (a câmara no mastro do rover) também pode servir como uma ferramenta de detecção mineral e de hidratação, informa Jim Bell da Universidade Estatal do Arizona em Tempe, EUA. "Algumas rochas portadoras de ferro e minerais podem ser detectadas e mapeadas usando os filtros próximo do infravermelho do Mastcam."

Os coeficientes de brilho em diferentes comprimentos de onda próximo do infravermelho podem indicar a presença de alguns minerais hidratados. A técnica foi utilizada para verificar rochas na área de "Yellowknife Bay" onde o Curiosity perfurou no mês passado, recolhendo a primeira amostra do interior de uma rocha em Marte. Algumas rochas em Yellowknife Bay são atravessadas por veias brilhantes.

"Com o Mastcam, vemos sinais elevados de hidratação nas veias estreitas que cortam muitas das rochas nesta área," afirma Melissa Rica do Instituto de Tecnologia da Califórnia, em Pasadena. "Estas veias brilhantes contêm minerais hidratados, que são diferentes dos minerais de argila na matriz de rocha circundante."

O instrumento russo DAN (Dynamic Albedo of Neutrons) a bordo do Curiosity detecta hidrogénio por baixo do rover. Na muito seca área de estudo do rover em Marte, o hidrogénio detectado é constituído principalmente por moléculas de água ligadas aos minerais. "Nós definitivamente vemos uma variação de sinal ao longo do travessão do percurso entre o local de aterragem e Yellowknife Bay," afirma Maxim Litvak, vice-investigador principal do DAN, do Instituto de Pesquisas Espaciais em Moscovo. "Foi detectada mais água em Yellowknife Bay do que em locais anteriores do percurso. Mesmo dentro de Yellowknife Bay, vemos uma variação significativa."

As constatações apresentadas ontem do instrumento canadiano APXS (Alpha Particle X-ray Spectrometer), no braço robótico do Curiosity, indicam que os processos ambientais molhados, que produziram as argilas em Yellowknife Bay, fizeram-no sem muitas mudanças na mistura global de elementos químicos presentes. A composição do afloramento perfurado coincide com a composição do basalto. Por exemplo, tem proporções basálticas de silício, alumínio, magnésio e ferro. O basalto é o tipo de rocha mais comum em Marte. É ígneo, mas também se pensa que seja o material de origem para as rochas sedimentares que o Curiosity já examinou.

"A composição elementar das rochas em Yellowknife Bay não foi muito alterada pela modificação de minerais," afirma Mariek Shmidt, membro da equipa científica do Curiosity na Universidade Brock, em Saint Catharines, Ontário, Canadá.

Um revestimento de poeira nas rochas não tinha feito a composição detectada pelo APXS coincidir com o basalto até que o Curiosity raspou a camada de pó. Após isso, o APXS viu menos enxofre.

"Ao remover a poeira, tivemos uma melhor leitura que empurra a classificação para a composição basáltica," afirma Schmidt. As rochas sedimentares em Yellowknife Bay foram provavelmente formadas quando as rochas basálticas originais foram fragmentadas, transportadas e re-depositadas como partículas sedimentares, e mineralogicamente alteradas por exposição à água.

Links:

Cobertura da missão do rover Curiosity pelo CCVAlg:
15/03/2013 - Rover da NASA descobre que Marte já teve condições para suportar vida
05/02/2013 - Curiosity perfura rocha marciana pela primeira vez
18/01/2013 - Curiosity prepara-se para primeira perfuração marciana
28/12/2012 - Rover Curiosity passa Natal na "Casa da Avó"
11/12/2012 - O futuro do Curiosity: mapeamento montanhoso
04/12/2012 - Rover da NASA completa primeira análise de solo marciano
06/11/2012 - Rover Curiosity encontra pistas de mudanças na atmosfera de Marte
02/11/2012 - Curiosity analisa primeiras amostras de solo marciano
02/10/2012 - Curiosity descobre que tempo em Marte é surpreendentemente quente
28/09/2012 - Rover Curiosity descobre antigo leito na superfície marciana
21/09/2012 - Rover Curiosity aponta armas para rocha invulgar na sua viagem
07/09/2012 - Rover Curiosity começa actividades com o seu braço robótico
31/08/2012 - Curiosity começa viagem para Este
28/08/2012 - Curiosity envia incrível imagem em alta-resolução do Monte Sharp
21/08/2012 - Laser e braço do Curiosity passam primeiros testes
10/08/2012 - Curiosity envia 1.º panorama a cores
07/08/2012 - Curiosity aterra em Marte!
03/08/2012 - Rover Curiosity: tudo ou nada
31/07/2012 - Aterragem de rover marciano segue grande tradição dramática com 40 anos
17/07/2012 - Rover Curiosity a caminho da aterragem no início de Agosto
20/12/2011 - Rover marciano da NASA começa pesquisa no espaço
25/11/2011 - Como é que o Curiosity vai para Marte? Com muito cuidado
22/11/2011 - Mega-rover pronto para pesquisar sinais de vida em Marte
05/07/2011 - Rover Curiosity poderá subir monte com altura do Kilimanjaro

Notícias relacionadas:
NASA (comunicado de imprensa)
PHYSORG
Universe Today
redOrbit
Science Daily

Rover Curiosity (MSL):
NASA
NASA - 2 
NASA - 3
Wikipedia

Marte:
Núcleo de Astronomia do CCVAlg
Wikipedia


comments powered by Disqus

 


Nesta imagem da rocha "Knorr", as cores mapeiam a quantidade de hidratação mineral indicada por um coeficiente de intensidades de reflectância próximo de infravermelho medidas pelo Mastcam do Curiosity.
Crédito: NASA/JPL-Caltech/MSSS/ASU
(clique na imagem para ver versão maior)


Investigadores usaram o instrumento APXS para determinar as composições elementares das superfícies rochosas em vários alvos da área "Yellowknife Bay". Este gráfico mostra resultados da rocha com o nome "Portage", com comparações ao longo de diversos elementos.
Crédito: NASA/JPL-Caltech/Universidade de Guelph
(clique na imagem para ver versão maior)

 
Top Thingy Right