Top thingy left
 
EQUIPA DO ROVER CURIOSITY CONFIRMA LAGOS ANTIGOS EM MARTE
13 de outubro de 2015

 


Fotografia da formação "Kimberley" em Marte, captada pelo rover Curiosity da NASA. Os estratos no pano da frente inclinam-se para a base do Monte Sharp, indicando um fluxo de água em direção a uma bacia que aí existiu antes da constituição da maior parte da montanha.
Crédito: NASA/JPL-Caltech/MSSS
(clique na imagem para ver versão maior)

 

Um novo estudo da equipa por trás do rover Curiosity da NASA confirmou que Marte já foi, há milhares de milhões de anos atrás, capaz de armazenar água em lagos durante um período alargado de tempo.

Usando dados do Curiosity, a equipa determinou que, há muito tempo atrás, a água ajudou a depositar sedimentos na Cratera Gale, onde o rover aterrou há mais de 3 anos atrás. O sedimento foi depositado em camadas que formaram a base do Monte Sharp, a montanha que está hoje no meio da cratera.

"Observações do rover sugerem a existência de uma série de fluxos de longa duração e lagos há 3,8-3,3 mil milhões de anos atrás, que transportaram sedimentos e que lentamente construíram as camadas inferiores do Monte Sharp," afirma Ashwin Vasavada, cientista do projeto MSL (Mars Science Laboratory) no JPL da NASA em Pasadena, no estado americano da Califórnia e coautor do novo artigo publicado sexta-feira passada na revista Science.

As conclusões apoiam-se em trabalhos anteriores que sugeriram a existência de lagos no passado de Marte e também contribuem para o desvendar da história molhada de Marte, tanto no passado como no presente. O mês passado, cientistas da NASA confirmaram a presença atual de sais hidratados em Marte.

"O que pensávamos saber sobre a água em Marte está a ser constantemente posto à prova," afirma Michael Meyer, cientista-chefe do Programa de Exploração de Marte na sede da NASA em Washington. "É evidente que o Marte de há milhares de milhões de anos atrás era mais parecido com a Terra do que o Marte de hoje. O nosso desafio é descobrir como este Marte mais clemente foi sequer possível e o que aconteceu depois."

Antes do Curiosity ter aterrado em Marte em 2012, os cientistas propuseram que a Cratera Gale havia sido preenchida com camadas de sedimentos. Algumas hipóteses eram "secas", sugerindo que os sedimentos foram acumulados por poeira e areia arrastada pelo vento. Outras focaram-se na possibilidade de camadas depositadas em antigos lagos.

Os resultados mais recentes do Curiosity indicam que estes cenários mais húmidos estão corretos para as partes mais inferiores do Monte Sharp. Com base na nova análise, o depósito de, pelo menos, as camadas inferiores da montanha, ocorreu principalmente graças a rios e lagos antigos ao longo de um período de menos de 500 milhões de anos.

"Durante a travessia da Cratera Gale, notámos padrões na geologia onde vimos evidências de fluxos rápidos com cascalho mais grosseiro, bem como lugares onde os fluxos parecem ter sido esvaziados em corpos de água parada," explica Vasavada. "A previsão era que deveríamos começar a ver rochas de granulação mais fina, depositadas por água, mais perto do Monte Sharp. Agora que chegámos, vemos lamas solidificadas e laminadas em abundância que se parecem com depósitos de um lago."

Este tipo de rocha indica a presença de corpos de água parada, na forma de lagos, que permaneceram por longos períodos de tempo, possivelmente expandindo-se e contraindo repetidamente durante centenas de milhões de anos. Estes lagos depositaram os sedimentos que eventualmente formaram a parte inferior da montanha.

"Paradoxalmente, onde existe hoje uma montanha, houve no passado uma bacia e às vezes estava cheia de água," comenta John Grotzinger, ex-cientista do projeto MSL no Instituto de Tecnologia da Califórnia em Pasadena e autor principal do novo trabalho. "Vemos evidências de aproximadamente 75 metros de sedimentos e, com base nos dados de mapeamento da MRO (Mars Reconnaissance Orbiter) e imagens da câmara do Curiosity, parece que a água que transportava o depósito sedimentar estendia-se pelo menos até 150-200 metros acima do chão da cratera."

Além disso, a espessura total dos depósitos sedimentares na Cratera Gale que indicam interação com água podem até estender-se ainda mais alto, talvez até 800 metros acima do chão da cratera.

Acima dos 800 metros, o Monte Sharp não mostra evidências de estratos hidratados, e essa porção constitui a maioria do Monte Sharp. Grotzinger sugere que este segmento posterior da história da cratera fosse talvez dominado por depósitos secos e impulsionados pelo vento, como uma vez se pensou para a parte inferior explorada pelo Curiosity.

Persiste ainda a questão da fonte original de água que carregou os sedimentos para a cratera. Para a água ter corrido à superfície, Marte deve ter tido uma atmosfera mais espessa e um clima mais quente do que o teorizado para a época passada em que a Cratera Gale passou por uma atividade geológica intensa. Os modelos atuais deste paleoclima ainda não conseguem obter a resposta à pergunta.

Pelo menos uma parte da água pode ter sido fornecida através da queda de neve e chuva nas terras altas na orla da Cratera Gale. Há quem tenha argumentado a existência passada de um oceano nas planícies para norte da cratera, mas essa hipótese não explica como a água conseguiu existir em estado líquido à superfície durante grandes períodos de tempo.

"Tivemos tendência em considerar Marte como algo simples," comenta Grotziner. "Já pensámos que a própria Terra também era simples. Mas quanto mais estudamos, mais perguntas surgem porque estamos apenas começando a entender a real complexidade do que vemos em Marte. Este é um bom momento para voltar a reavaliar todos os nossos pressupostos. Alguma coisa falta nalgum lugar."

 


comments powered by Disqus

 


Imagem capturada do local "Hidden Valley", a caminho do Monte Sharp, pelo rover Curiosity. A variedade de lamas solidificadas e sedimentares na área indica um depósito de um lago, com depósitos de rios e ribeiros na vizinhança.
Crédito: NASA/JPL-Caltech/MSSS
(clique na imagem para ver versão maior)


Links:

Cobertura da missão do rover Curiosity pelo Núcleo de Astronomia do CCVAlg:
26/05/2015 - Rover Curiosity ajusta percurso montanha acima
17/04/2015 - Dados meteorológicos do Curiosity reforçam existência de salmoura
19/12/2014 - Rover Curiosity encontra química orgânica, passada e presente, em Marte
12/12/2014 - Rover Curiosity encontra pistas de como a água ajudou a moldar a paisagem marciana
07/11/2014 - Rover Curiosity encontra correspondência de minerais
12/09/2014 - Rover Curiosity chega ao Monte Sharp
24/06/2014 - Curiosity celebra primeiro ano marciano com sucessos da missão
24/12/2013 - Equipa do Curiosity verifica desgaste das rodas, actualiza software
10/12/2013 - Resultados do Curiosity incluem primeira medição de idade em Marte e ajudam à exploração humana
27/09/2013 - Resultados científicos do local de aterragem do Curiosity
27/09/2013 - Curiosity analisa rochas em ponto de paragem
20/09/2013 - Curiosity não detecta metano em Marte
06/08/2013 - Primeiro aniversário do Curiosity em Marte
23/07/2013 - Artigos relatam pistas do passado atmosférico de Marte
09/07/2013 - Rover Curiosity começa viagem até Monte Sharp
07/06/2013 - Cientistas calculam exposição à radiação durante viagem a Marte
04/06/2013 - Seixos comprovam antigo leito de rio em Marte
21/05/2013 - Rover Curiosity da NASA perfura segundo alvo
19/03/2013 - Rover Curiosity vê tendência em presença de água
15/03/2013 - Rover da NASA descobre que Marte já teve condições para suportar vida
05/02/2013 - Curiosity perfura rocha marciana pela primeira vez
18/01/2013 - Curiosity prepara-se para primeira perfuração marciana
28/12/2012 - Rover Curiosity passa Natal na "Casa da Avó"
11/12/2012 - O futuro do Curiosity: mapeamento montanhoso
04/12/2012 - Rover da NASA completa primeira análise de solo marciano
06/11/2012 - Rover Curiosity encontra pistas de mudanças na atmosfera de Marte
02/11/2012 - Curiosity analisa primeiras amostras de solo marciano
02/10/2012 - Curiosity descobre que tempo em Marte é surpreendentemente quente
28/09/2012 - Rover Curiosity descobre antigo leito na superfície marciana
21/09/2012 - Rover Curiosity aponta armas para rocha invulgar na sua viagem
07/09/2012 - Rover Curiosity começa actividades com o seu braço robótico
31/08/2012 - Curiosity começa viagem para Este
28/08/2012 - Curiosity envia incrível imagem em alta-resolução do Monte Sharp
21/08/2012 - Laser e braço do Curiosity passam primeiros testes
10/08/2012 - Curiosity envia 1.º panorama a cores
07/08/2012 - Curiosity aterra em Marte!
03/08/2012 - Rover Curiosity: tudo ou nada
31/07/2012 - Aterragem de rover marciano segue grande tradição dramática com 40 anos
17/07/2012 - Rover Curiosity a caminho da aterragem no início de Agosto
20/12/2011 - Rover marciano da NASA começa pesquisa no espaço
25/11/2011 - Como é que o Curiosity vai para Marte? Com muito cuidado
22/11/2011 - Mega-rover pronto para pesquisar sinais de vida em Marte
05/07/2011 - Rover Curiosity poderá subir monte com altura do Kilimanjaro

Notícias relacionadas:
NASA (comunicado de imprensa)
Caltech (comunicado de imprensa)
Science
Science - 2
Astronomy
Instituto SETI
Astronomy Now
Universe Today
Popular Mechanics
PHYSORG
RedOrbit
SPACE.com
New Scientist
POPULAR SCIENCE
Discovery News
BBC News
UPI
ars technica
AstroPT

Marte:
Núcleo de Astronomia do CCVAlg
Wikipedia

Rover Curiosity (MSL):
NASA
NASA - 2 
NASA - 3
Facebook
Twitter
Wikipedia

MRO:
NASA 
JPL 
Wikipedia

 
Top Thingy Right